sábado, 17 de setembro de 2011

Luan: 25 apresentações por mês e disco e DVD em Portugal (Divulgação)

"Alô, doçura, isso é mais que uma Serenata de Amor / Com você, tenho a Sensação que o nosso Lance é pra vida inteira / Nosso amor é o meu Sonho de Valsa." Foi com versos como esses, da canção Chocolate - distantes da dor de cotovelo que impregnou por anos a música sertaneja - que o sul-matogrossense Luan Santana, 20, se tornou um dos nomes mais ouvidos nas rádios nacionais.

Antes de estourar, em setembro de 2009, com Meteoro, ele amargava shows com apenas 20 pagantes. Hoje a sua agenda comporta, em média, 25 apresentações por mês. Já vendeu quase 102 mil CDs - pelos quais ganhou disco de platina - e agora mira o mercado exterior. Lança disco e DVD em Portugal em junho e faz shows, no fim do ano, na Europa e nos Estados Unidos.

"Em dezembro, tenho apenas três shows agendados no Brasil. O restante acontece lá fora, onde me apresento pela primeira vez", diz Luan, que vai exportar para os portugueses o seu primeiro disco, Tô de Cara, e o DVD gravado ao vivo - outro sucesso de vendas, com 66 mil unidades comercializadas e, como reconhecimento, um DVD de platina.

Apesar da distância que o álbum guarda da sonoridade de duplas como Chitãozinho e Xororó, Luan prefere não aderir ao rótulo "sertanejo universitário". "Em primeiro lugar, eu nunca fiz faculdade", conta, rindo, o menino, mais conhecido como gurizinho, que começou a cantar aos 14 anos e estourou aos 18. "Em segundo, tem gente de todas as idades nos meus shows."

Luan Santana esteve em São Paulo na última segunda-feira, para duas sessões de fotos de revistas que o estamparão na capa. Em meio à correria de sua agenda, recebeu VEJA.com para um bate-papo e algumas palhinhas sonoras, em vídeo.

Aqui, Luan conta do início de sua carreira, relembra casos de fãs, revela suas influências musicais e um pouco de sua vida pessoal. "Eu era pegadorzinho... pegava todas as menininhas", confessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário